Follow:
Arte e Cultura, Emília Romanha

10 motivos para visitar a Emília Romanha

Precisa de 10 motivos para visitar a Emília Romanha?

Certamente poderia até te dar mais motivos para você vir correndo conhecer a região.

Sou completamente apaixonada por essa terra e não me faltam motivos para estar por aqui.

1- Lindas cidades medievais

Vista da Piazza della Libertà e Palazzo Pubblico

Piazza della Libertà e seu Palazzo Pubblico em San Marino

Em todas as cidades, de Piacenza à Rimini a idade média foi uma época de grande expansão e muitas construções significativas. Cada parte da região era dominada por uma família que não media esforços para fazer de sua cidade bela e protegida.

Com isso a maioria delas ainda conserva castelos, fortalezas, muralhas de proteção e lindos edifícios.

Visitar a Emília Romanha é como caminhar no passado.

2- Turismo enogastronômico genuíno

Lambrusco Bolonha

Lambrusco e Lasanha à bolonhesa nada mais italiano

Todos sabem que vida e arte caminham lado a lado com boa comida.

Grande parte da “arte de viver” italiana é relacionada à cozinha e se existe uma região na Itália onde a comida é ITALIANA “da gema” é aqui.

A maior parte dos produtos e pratos internacionalmente conhecidos como “italianos” são produzidos por essa região.

– “Ah mas eu não ligo para comida” .

Visitar a Emília Romanha e não aproveitar sua gastronomia é praticamente não ter vivenciado a viagem.

O fato da região ser industrial e agrícola ao mesmo tempo aumenta ainda mais a adoração de quem vive aqui por comer bem. Esse povo respira comida!

Por aqui também produz excelentes queijos e vinhos. Tanto que entre os programas imperdíveis na região não podemos deixar de citar as vistas aos caseifici (queijarias), aceitai (onde se produz Balsâmico de Modena) e as vinícolas.

3- Calma para passear sem esbarrar em uma multidão de turistas

Vista do centro de ferrara com a torre ao fundo

A calma do centro de Ferrara

Felizmente as cidades da região ainda não foram invadidas pelo turbilhão de turistas que lotam Veneza, Florença e Roma.

Você poderá passear por cidades como Bolonha e Modena por horas muitas vezes sem esbarrar em nenhum turista.

A grande vantagem é que você poderá tirar suas fotos tranquilamente nos pontos turísticos mais famosos sem ter que disputar o “angulo perfeito” com um monte de orientais e suas mega-câmeras.

Além disso sem tantos turistas você terá a oportunidade de conhecer o verdadeiro modo de viver italiano dentro das cidades.

4- Povo acolhedor

Sommelier apresentando os vinhos na feira Enológica.

Sommelier me dando uma aula no evento Enológica em Bolonha. Os Emilianos e Romanholos tem muito orgulho de seus produtos e terão o maior prazer de mostrá-los

O povo dessa região é  simpático, gentil e também é muito amável com os turistas.

Todos tem muito orgulho da sua terra e vão fazer o máximo para o turista se apaixonar por ela também.

Acredito que por terem um tipo de vida menos estressante – e sem tantos turistas para enlouquecê-los – o emilianos e romanholos quando tem uma oportunidade fazem questão de fazer o que podem para agradar.

 

5- Praias no verão e neve no inverno

Praia de Rimini no verão

Terra da diversão, imortalizada em numerosos filmes e comédias italianas a Emília Romanha oferece aos turistas tudo o que ele poderia querer.

Mar, sol e diversão na Riviera Adriática, parques e reservas naturais nos Apeninos. A diversidade de paisagens é um grande trunfo da região.

Ao visitar a Emília Romanha você pode escolher em combinar turismo nas cidades com uma esticadinha na praia ou – no inverno – subir às montanhas para esquiar.

Sabia que a Emília Romanha conta com diversas estações para a prática de esportes de neve? Veja nosso post sobre as pistas de esqui da região.

E a oferta não para por aí, você pode ainda passar uns dias no campo pois a região possui uma ótima estrutura de agroturismo ou fazer um tratamento de beleza em um dos parques termais da região.

6- Preços mais acessíveis

Outra vantagem de não ter sido invadida por bandos de turistas: os preços por aqui são mais suaves.

Hospedagem, alimentação e atrações em geral chegam a custar em torno de 30% menos.

Ainda tem o “plus” de que muitas das principais atrações são igrejas, basílicas ou estão à céu aberto ou seja são de graça.

Muitos viajantes aproveitam essa vantagem e fazem de Bolonha uma cidade-base para explorar as outras principais cidades no país usando como meio de transporte os trens rápidos ou as ótimas estradas.

7- Terra dos motores

Lamborghini Aventador exposta no pátio do Palazzo d'Accursio

Lamborghini Aventador

Além de rica em sabor a região exibe o melhor do mundo automobilístico e corridas.

O patrimônio industrial e cultural automobilístico de Modena possui nomes como Ferrari, Maserati, Pagani Automobili, B.G.Engineering, De Tomaso, Bugatti.

A região possui ao todo  14 museus dedicados aos carros, incluindo o Museu Ferrari de Maranello, o museu dedicado a Enzo Ferrari “MEF” em Modena, e o Museu Ducati e Lamborghini perto de Bolonha.

Veja como foi nossa experiência no tour Discovery Ferrari & Pavarotti Land

Achou pouco? ainda não terminou: São 11 coleções particulares de veículos ​​históricos visitáveis  e duas pistas internacionais para experimentar um teste de alta velocidade.

A Emília Romanha é um paraíso quem ama carros e velocidade.

8- Cidades de fácil acesso

By Creatività & Broad Casting FS Italiane [CC0], via Wikimedia Commons

O sistema de transporte é bem servido na região. As principais cidades possuem uma estação ferroviária e as que não possuem – no caso das cidades de montanha – tem ligação feita por ônibus.

Como falei nesse post aqui, Bolonha por exemplo é um grande ponto de encontro rodoviário e ferroviário do norte da Itália.

Na cidade se encontram quatro linhas férreas de trens alta velocidade que partem das grandes cidades Italianas além de trens regionais que seguem para todos os cantinhos da região.

Visitar a Emília Romanha de carro também não é o problema já que além das maravilhosas auto-estradas, existem as estradas estaduais (statale) que são muito bem conservadas e sinalizadas.

9- Borgos lindos e (quase) desconhecidos

E se eu te dissesse que ao visitar a Emília Romanha você terá chance de conhecer os borgos mais belos da Itália?

Por aqui temos 12 dos borgos mais lindos no país: Bobbio, Brisighella, Castell’Arquato, Compiano, Dozza, Fiumalbo, Gualtieri, Montefiore Conca, Montegridolfo, San Giovanni in Marignano, San Leo e Vigoleno.

Todos eles são praticamente desconhecidos do turismo internacional e não devem nada em beleza aos famosos borgos da Úmbria e Toscana.

10- Arte bizantina, medieval e renascentista

Mosaico do altar da basilica de san vitale em Ravenna

Mosaicos da Basilica de San Vitale em Ravenna, representação de arte bizantina e Patrimõnio da Humanidade Unesco

Sendo ou não um amante de arte é impossível ficar apático ao tesouro artístico que estas terras possuem.

Se você prefere arte bizantina vá até Ravena.

Cansou? Dê uma esticadinha à Ferrara e aprecie o La cattedrale di San Giorgio Martire  (1135) – Igreja dedicada à São Jorge. Um magnífico exemplo de construção da idade média.

Prefere arte renascentista? Vá à Rimini e visite o Templo Malatestiano considerado “a representação da teoria arquitetônica do renascimento”.

Nessa terra tem arte, motor e comida para todos os gostos.

Te convenci?

Vem logo conhecer a Emília Romanha!

Ela te espera de braços abertos

 

Share:
Previous Post Next Post

Você também pode gostar

No Comments

Leave a Reply