Follow:
Vida na Itália

Cinco meses de vida na Itália

Cinco meses de vida na Itália e nada mudou muito por aqui.

O permesso di soggiorno (visto de residência)  ainda não saiu e continuo de mãos atadas sem poder fazer um monte de coisas.

Minha rotina se resume à ir a academia, ao centro da cidade, ao curso e atividades domésticas (odeio, diga-se de passagem). O que seria uma delícia para um monte de gente não é para mim.

Começo a sentir a necessidade de produzir e estar em contato com pessoas.

Cinco meses de vida na Itália

Cursos

Todos os três cursos que fazia – história da cidade de Bolonha, o Master Wine e o Italiano em cucina – terminaram.

Agora faço somente o curso sobre Arquitetura moderna em Modena.

Ter fechado esse ciclo de cursos por um lado foi bom pois estava super cansada e não conseguia me dedicar ao blog como gostaria.

Por outro lado, sinto falta. O curso em Bolonha era maravilhoso e o de Italiano in cucina tinha as pessoas né? Era o único momento que eu treinava meu italiano pra valer.

Amizades

Se antes estava difícil fazer amizades, sem os cursos ficou praticamente impossível.

Andei pensando mil maneiras de solucionar esse problema com cursos ou encontros, mas outro dia o marido chegou em casa contando que uma senhora italiana que ele conheceu reclamou do mesmo problema.

Napolitana e morando há pouco tempo na cidade, ela reclamava o quanto é difícil fazer amizades. Pensando bem uma amiga carioca morando em Sampa também fez o mesmo desabafo.

Conclui que o problema não sou eu, nem os italianos em si. O problema são as pessoas em geral que andam tão ocupadas que não sobra tempo para fazer novos amigos.

Enquanto isso vou mantendo os amigos que tenho via facebook.

Língua

Essa está sendo a parte mais estressante para mim. Como só falo com o marido, e ele entende tudo que eu falo mesmo errando, perdi um pouco da desenvoltura nesse último mês.

Sou super exigente e quando erro coisas ridículas fico mal. Sei que essa “onda” faz parte do aprendizado da lingua mas gostaria de estar muito melhor do que estou. E sem ter um contato diário com nativos é impossível.

Estou pensando em me matricular em um outro curso de Italiano para estrangeiros em Bolonha.

Em Rimini infelizmente as coisas são limitadas e os cursos oferecidos pelo governo ou em instituições para estrangeiros só chegam a um nível mais baixo que o meu. E me matricular em um curso assim não adianta né?

Academia

Mais um mês de embromação. Não abandonei totalmente mas não fui quanto gostaria. Mas posso explicar: com dias lindos lá fora quem consegue resistir a uma pedalada?

Essa foi minha atividade e válvula de escape do mês. Pedalei bastante e pretendo continuar pedalando. Me recuso ir ao centro da cidade de ônibus ou carro. Com dias lindos de sol, vou pedalando, curtindo minha musica e em 25 minutos estou lâ.

Como falei, não abandonei a academia, mas reduzi os dias por lá.

Alimentação

Como estava enfiando o pé na jaca resolvi ser drástica: a partir de 5 de abril estou participando do desafio 30 dias sem açúcar da nutricionista Jaqueline Müller

Claro que dei umas escorregadas, tipo umas 3. Mas no geral estou conseguindo na boa pois o Marco escondeu os chocolates em lugares que só ele alcança – ele mede 1,93m.

Agora meus famosos muffins e biscoitos sem glúten  são adoçados stévia.

Tenho cozinhado e feito algumas coisas gostosas até para evitar comer besteiras.

Outra coisa que começa a me cansar é a falta de opção se preciso comer na rua. Amo massa mas não posso comer massa, pão ou sanduíche todo dia. E fora disso a opção é restaurantes vegetarianos – que nem sempre tem boa comida – ou pizzaria.

No outro dia dei a louca e entrei em um chinês kkk. Ah já encarei um japonês também, mas ambos foram bem fracos.

O que falta aqui é a diversidade. Os italianos são fechados demais para outras cozinhas, principalmente nas cidades menores.

Blog

Comecei a me dedicar mais ao blog e novas ideias estão surgindo aos poucos.

Meu foco agora será publicar com menos frequência, posts mais elaborados e totalmente focados no turista brasileiro.

Serão somente um ou no máximo dois posts por semana. Assim tenho menos contato possível com a lingua portuguesa e melhoro meu italiano.

Muitas ideias na cabeça mas falta tempo para colocar tudo em pratica. Não posso passar o dia trancada em casa trabalhando no blog. Ele dá um trabalhão viu? E o retorno demora, às vezes anos.

Novidades nos cinco meses de vida na Itália

  • Em março comecei a pagar meu INSS como autônoma e essa semana consegui pegar um formulário IB-2 do seguro saúde, válido até o fim de junho. Ao menos não estou descoberta em caso de emergência. Mas isso é outra coisa que me incomoda. Preciso me consultar com alguns médicos e sem o visto de residência ainda não posso.
  • Esse mês recebi duas visitas: minha amiga que estava estudando em Praga e duas semanas depois foi a vez dos meus tios e minha prima. Foram visitas “de médico” mas ótimas. Deu para papear, passear e mostrar um pouco da minha vida na Itália para eles. Teve até passeio turístico em Bolonha com direito à história e curiosidades da cidade contados por mim.
Share:
Previous Post Next Post

Você também pode gostar

2 Comments

  • Reply jussara mercaldi donadon

    Que legal . vai com calma que tdo flui naturalmente.Uma frase pra se pensar, Qto mais voce corre atras da borboleta, mas ela foge.Um dia voce se distrai e ela vem sentar no seu ombro !!

    Abril 19, 2017 at 1:06 pm
    • Reply Dani Bispo

      Own Jussara que lindo! Adorei esse provérbio! Sabemos que é assim mesmo! A partir de agora “tô nem aí para a Borboleta” rs

      Bjs
      Dani Bispo

      Abril 19, 2017 at 1:55 pm

    Leave a Reply