Follow:
Enogastronomia, Vida na Itália

Comprando vinhos italianos nos supermercados da Itália

Por enquanto sem pretensão de me transformar em uma enóloga – e o cuidado de me não me transformar em uma enochata como dizem por aí – vou me contentando em comprar meus vinhos italianos em supermercados.

Deixo as enotecas para um futuro onde meu interesse e a cotação do euro me permitir.

Me considero uma leiga na arte de conhecimento de vinhos italianos.

Sei o básico para combinar um prato, tenho minhas uvas preferidas e me arrisco a experimentar outras que considero interessante, só!

 

Rótulo de vinhos italianos sangiovese com marcações de onde devemos analisar

Atenção em analisar esses itens, ver onde a garrafa foi engarrafada é muito importante

Nunca pensei que para comprar vinhos italianos em supermercados na Itália poderiam haver técnicas, mas lendo alguns artigos pela internet acabei descobrindo que podemos comprar vinhos melhores se tivermos alguns cuidados.

Resolvi então preparar para vocês um resumo do que andei lendo e que espero aplicar nas minhas futuras compras.

Aqui vão alguns passos básicos para comprar vinhos em supermercados sem correr riscos.

Escolha primeiro o supermercado

Esqueça os pequenos mercados, inclusive os mini-mercados de pequenos vilarejos que vendem um pouco de tudo.

Optem por supermercados de grandes cadeias tipo Carrefour, Coop, Conad, IperCoop, Esselunga… Eles tem uma grande diversidade de vinhos para escolher.

 

No supermercado escolha a prateleira certa

Uma vez no supermercado atenção, escolha a prateleira certa.

Teoricamente podemos dividir esse departamento em 3 setores:

Um setor só com os vinhos para “cozinhar” ou seja, vinho de baixa qualidade.

As características deles são preços baixos, vinho em caixinha ou garrafões de 5 litros.

Se você considera que tem um paladar um pouquinho apurado afaste-se dessa prateleira.

Prateleira de vinhos italianos em um supermercado Italiano

Prateleira de vinhos em um supermercado Italiano

Depois você encontrará as prateleiras “prejuízo” com garrafas renomadas e caras.

Vinhos italianos e franceses mais famosos a preços que começarão a partir de 20 euros.

Dificilmente você encontrará ofertas e precisará de uma carteira recheada para comprar esses vinhos.

Conselho: Caso queira adquirir os vinhos italianos mais “prestigiosos” é melhor se dirigir a uma Enoteca.

Para concluir tem o terceiro setor, o maior, a sua prateleira.

De 3 a 20 euros você encontrará um pouco de tudo, dali que deverá sair o seu vinho-coringa.

 

Nunca compre vinhos italianos que custem menos que 5 euros

O primeiro indicador para comprar um bom vinho é o preço.

Vinho é um produto, e como tal, vale a mesma regra de todos os outros produtos do supermercado. Em 90% dos casos se paga pela qualidade.

Considerando os custos de produção e transporte, aconselho (exceto para algumas ofertas) não comprar garrafas mais baratas que 5 €. Desse preço em diante a escolha é sua.

O melhor mesmo seria se manter entre 7-8 euros. Com esse preço seguramente você encontrará vinhos italianos bons.

Entre 5 e 8 euros poderá encontrar “coisa boa” mas com algum risco.

Abaixo de 5 euros você correrá altíssimo risco do seu vinho de mesa ser rebaixado a vinho para “cozinhar”

 

Melhor não comprar o primeiro preço

Por exemplo: na prateleira da Região Piemonte (nos supermercados italianos os vinhos ficam divididos pela região em que foram produzidos) os vinhos Barolo tem preços que começam a partir de 10 euros e chegam a custar 30 euros.

Os vinhos Barbera da mesma região tem preços que começam a partir 3-4 euros e chegam em torno de 15 euros por um Barbera Superiore.

Se você tem 10 euros no bolso não se deixe enganar pela vontade de levar para casa um vinho renomado com Barolo, melhor investir o mesmo valor em um Barbera de preço médio que seguramente será um bom vinho.

Ao mesmo custo é melhor evitar o vinho de “renome” em versão econômica e escolher aquele menos prestigioso na versão mais cara.

Resumindo, é melhor um Barbera bacana que um Barolo vagabundo ou um bom Chianti Clássico que um Brunello de segunda linha.

Como agir diante a uma mega oferta

Toda semana é possível achar ofertas com descontos que chegam a 50%. Tenha muito cuidado, nem tudo que reluz é ouro.

Primeira coisa, só compre vinhos em oferta se já o conhece ou já o provou, assim estará seguro da sua compra.

Se invés disso está comprando às cegas, vá em frente mas compre só uma garrafa. Beba durante a viagem e se gostar volte e compre um estoque.

 

Ler a etiqueta

Depois que escolher um belo rótulo, o leia.

As informações contidas nos rótulos das garrafas de vinhos italianos nem sempre são completas.

Mas além das 4 linhas de descrição habituais (vermelho rubi, corpo, ideal para acompanhar peixe etc …) às vezes podemos encontrar algumas informações úteis.

Rótulo vinhos italianos chianti com marcação de informação importante

Exemplo de informação útil no rótulo de um vinho Chianti Classico

Em primeiro lugar, se você não gosta de vinhos espumantes verifique se existe a palavra “frizzante”, “vivace” o “fermo”, assim evitará um vinho com dois dedos de espuma.

Rótulo vinhos italianos pignoleto com marcação do tipo frizzante

O vinho Pignoleto por exemplo existe nas versões fermo, frizzante e spumante assim ler a etiqueta é muito importante

Ou se não gosta de vinho de sobremesa que geralmente são licorosos e mais doces evite os que tem como acompanhamentos a palavra “dolce” ou “dessert”.

Tipos de uvas utilizadas

Outra informação útil (infelizmente nem sempre presente) refere-se aos tipos de uvas utilizadas.

Se você não é fanático por vinhos de “Corte Bordalês”, também chamado de taglio bordolese na Itália ou assemblage Bordeaux na França, melhor dar uma olhada com calma no rótulo, principalmente se você está segurando uma garrafa IGT.

Garrafa de vinho branco bordeaux

Vinho branco Bordeaux

Último e mais importante item do rótulo que você deve verificar refere-se ao engarrafamento.

Sempre melhor confiar em vinícolas que fazem tudo em casa, então atenção para que esteja escrito : Imbottigliato all’origine da , Prodotto e imbottigliato da, imbottigliato all’origine dalla cantina sociale.

Garrafa de vinho chianti com marcação no rotulo imbotigliado da

A marcação imbotigliato da (foto) diz que o vinho foi engarrafado na própria vinícola

Todas essas expressões podem ser acrescentadas do texto “integralmente prodotto”,que quer dizer que o vinho é elaborado exclusivamente a partir de uvas vindimadas em vinhas pertencentes à empresa e engarrafado na mesma.

Rótulo vinho sangiovese di Romagna com marcação imbotigliato da Chiarli

Grandes vinícolas normalmente engarrafam seus vinhos

 

Sim é um pouco chato, porque você terá que olhar sempre a contra-etiqueta. Mas é muito útil porque nos diz que o vinho é o resultado de uma cadeia controlada por uma única empresa e assim mais confiável.

 

Primeiro confiar em vinhos DOC e DOCG (DOP), caso contrário IGT

Esta terceira dica vale seguir nas grandes cadeias de supermercados.

Fora delas pode fazer você cometer erros pois os pequenos produtores – que expõem nas sagras regionais e não obtiveram ainda selos de denominação de origem – podem ter bons produtos.

 Vinho Montefalco Rosso da Azienta Adanti Agricola

Vinho Montefalco Rosso com Denominação de Origem Controlada

Já na prateleira de um supermercado é mais uma garantia pois o valor dos vinhos com selo de denominações de origem é ligeiramente superior.

Não sabe o que são os selos de denominação de origem? Leia esse post aqui

No entanto, certifique-se de que o vinho foi Imbottigliato (engarrafado) na área do DOC e DOCG, porque, infelizmente, há exceções.

garrafa do Vinho Vernaccia di San Geminiano Hydra

Vinho Vernaccia di San Geminiano Hydra

Um exemplo: o DOC Sicília dá a opção de engarrafamento também fora da região.

Se você ver uma bela garrafa de Nero d’Avola que foi engarrafada na província de Verona, Cuneo, Asti, etc… recoloque-a na prateleira e saia correndo.

Nos vinhos IGT é permitido que cerca de 15% dos conteúdos da garrafa possam ser feito com vinho comprado fora da região de origem.

 

Evite as garrafas da primeira fila

Se você vai à um jantar importante e quer levar um vinho de “nível”, compre um de 20 euros para cima.

Evite pegar a primeira garrafa a vista sobre a prateleira. Ao menos que não seja a última é melhor pegar aquela de trás.

A maior parte dos vinhos italianos vendidos nos supermercados é de faixa média-baixa o que significa que o vinho mais caro pode permanecer na prateleira por meses, em posição vertical, no calor e contato direto com a luz forte da loja.

Então se você não quer de verdade ir à uma Enoteca (o mais aconselhável para vinhos italianos desse valor), tente pelo menos pegar uma garrafa do fundo da prateleira.

Ela não terá pego luz direta e evitando assim o risco de levar um vinho caro e estragado.

 

Vinhos jovens

Como não sou uma profunda conhecedora de vinhos italianos procuro comprar vinhos jovens, de preferencia da vindima anterior. Para serem bebidos em pouco tempo.

Por exemplo: Se estamos no ano de 2015, procuro comprar vinhos da vindima de 2014, no máximo de 2013.

 

Garrafa vinhos italianos Satrico com marcação da safra

Vinho Satrico, um blend di Chardonnay, Sauvignon e Trebbiano Giallo, é um vinho jovem.

 

Isso é uma mania minha e tem dado certo. Acredito que vinhos de guarda não estarão na faixa de 7-8 euros.

Um dia quem sabe quando entender mais sobre o assunto consiga selecionar vinhos de guarda com esse preço.

 

Chega das mesmas uvas

Nos supermercados você poderá encontrar alguns vinhos interessantes, orgânicos (biológico) ou produzidos por pequenas e médias vinícolas, especialmente se você procurar entre os vinhos região onde você está, onde a seleção sempre é maior.

Garrafa vazia do vinhos italianos Aldia Superiore, vino Vermentino di Gallura Superiore D.O.C.G..

Eu não conhecia esse vinho Aldia Superiore, Vermentino di Gallura Superiore D.O.C.G.. e foi uma ótima surpresa

 

Não tenha medo de experimentá-los se não o conhece, você pode descobrir novos vinicultores muito interessantes.

Não fique tentado em comprar sempre o mesmo vinho italiano, a não ser que já o conheça e goste muito.

 

Para iniciados

Para concluir este post de compras de vinho nos supermercados italianos aqui vai a dica mais importante de todas.

Se você tem interesse no mundo do vinho, pode gastar e deseja dedicar um pouco de atenção e tempo, o melhor conselho que posso dar é para evitar a compra de vinho no supermercado.

Existem as feiras de comida e vinho (sagras), vinícolas, enotecas, salões de vinho, onde você pode comprar diretamente do fabricante ou produtos melhores.

Talvez custe alguns euros a mais, mas você terá a satisfação de comprar o vinho diretamente de quem o produziu, depois de ouvir os contos do enólogo e prova-lo.

Qualquer pessoa que tenha algum outro conselho pode contribuir e completar este “manual” com a sua experiência.

Fique à vontade.

 

Post Original do Blog Comer e Coçar é Só Começar

Fonte: SimoVino, Intravino, Slowfood.it

Share:
Next Post

Você também pode gostar

No Comments

Leave a Reply