Follow:
Vida na Itália

Dois meses de vida na Itália

O tempo voa… parece que foi ontem que cheguei mas já tenho dois meses de vida na Itália. Ao mesmo tempo parece que sempre vivi nessas terras.

A ficha ainda não tinha caído mas aos poucos as coisas vão entrando no eixo e o cérebro começa a entender que minha vida agora é aqui.

As primeiras mudanças na rotina já foram incorporadas e não rola mais sofrimento.

Ao mesmo tempo que a saudade da família começa a bater, vem a necessidade de fincar bases, criar uma rotina sólida.

Vida na Itália

Dois meses de vida na Itália

Festas de Fim de Ano

A semana das festas de fim de ano foi “uma comilança só”, e bateu uma ressaca de comida.

Cortei as massas nos dias de semana, evito ao máximo pães e biscoitos mas claro, sem radicalismo.

Como senti que engordei um quilinho – tinha emagrecido antes de vir para cá – a consciência pesou.

Resolvi tirar o peso da consciência (e do meu corpo) para colocá-lo na rotina: me matriculei em uma academia, a mais próxima da minha casa para não ter desculpas.

Ontem foi o primeiro dia na “palestra” e achei bem parecida com as academias brasileiras, ao menos na filosofia em geral.

Dia 11 volto aos cursos de italiano e no dia 17 começarei um curso em Bolonha no qual estou super animada.

O visto ainda não saiu, então  nada de poder procurar trabalho ainda, mas até que ando bem ocupada com o blog e com os estudos.


O inverno

Semana passada caiu uns floquinhos de neve por aqui e a emoção foi muito grande pois nunca tinha presenciado neve nessa cidade.
Foi a comemoração de dois meses de vida na Itália.

Também tive os meus dias de “saco cheio do frio” e vontade de só ficar em casa.

Mas ficar trancada em casa não me faz bem então resolvi encara-lo e curti lindos dias.


Alimentação

Como estamos comendo mais em casa, e já estou de saco cheio do mesmos legumes com carne grelhada, tenho feito alguns pratos.

Outro dia fiz um risotto ai funghi porcini (risotto ao  fungo porcino) que ficou maravilhoso!

risotto ai funghi porcini

risotto ai funghi porcini que eu fiz com arroz integral, demorou tanto para cozinhar que acabei com a garrafa de prosecco enquanto esperaca

Já fiz torta de abóbora recheada com carne moída, creme de milho com frango gratinadas e para fechar com chave de ouro, panna cotta.

Ainda não aprendi a fazer piadina, nem casone e vejo que meu paladar também anda mudando. Já consigo substituir um prato de comida no almoço por uma porção de casone, coisa inadmissível algum tempo atrás.


Atividades domésticas

Conseguimos dar um jeitinho na casa e aos poucos ela vai ficando com a nossa cara.

Aprendi que ter uma casa confortável e do nosso gosto é mais que importante por aqui pois passamos muito tempo nela.

Por outro lado cada dia que passo aprendo novos truques domésticos como por exemplo: quando estiver muito frio e úmido, coloque o varal em um lugar mais arejado senão as roupas ficarão com cheiro ruim.


A língua

Sei que dois meses de vida na Itália ainda é pouco mas o curso de Italiano que estou fazendo não está contribuindo para melhorar meu italiano.

O nível é mais baixo que o meu e para piorar a professora ignora totalmente a conversação que era o que eu realmente precisava.

A língua ainda é uma barreira.

Uma coisa que tenho notado é que muitos balconistas são grossos e não tem a menor paciência com o estrangeiro.

Você pode ser uma pessoa super educada, se fizer qualquer coisa considerado “idiota” vai levar uma patada só por ser estrangeira.

E não ser rápida o suficiente para conseguir responder uma grosseria “à altura” me deixa com muita raiva.

Mas já estou desenvolvendo técnicas de sobrevivência principalmente quando EUzinha for a cliente!


Amizades

A única coisa que me falta por aqui depois da minha família, são minhas as amizades. Elas sempre foram muito importantes para mim. Os amigos que deixei no Brasil acabo falando por whattapp e skype, mas aos poucos sei que isso acaba.

O Marco tem alguns amigos que encontramos sempre que podemos. São pessoas que adoro, mas são amigos dele, preciso dos meus.

A fluência na língua também dificulta um pouco: não consigo ter amigos porque não tenho fluência e não tenho fluência porque não tenho amigos para falar.

Buon anno!!!!!

Uma foto publicada por Dani Bispo (@abolonhesa_com) em

As pessoas são carinhosas e muito prestativas, mas tornar amigo “do tipo” que te chama para uma cerveja um café, ou para ir até a sua casa é outro departamento.

Sem trabalhar isso se torna ainda mais difícil.

Por enquanto aproveito daqueles amigos que temo e, dos seguidores que viraram amigos.

Ah tem também as das brasileiras que moram por aqui na Itália e que também viraram pessoas muito queridas.

dois meses de vida na Itália Prima do meu marido e eu no Ano Novo

Eu e a prima-irmã do meu marido. Nos convidou para o ano novo na sua casa e nos apresentou seus amigos. Ela faz o que pode para nos ajudar

A família dele também tem função importante na adaptação. Todos são super atenciosos e fofos, tentam ajudar de todo jeito. Meus sogros são como meus segundos pais.

Sorte que já cheguei ciente das dificuldades que teria.

Aos poucos vou me adaptando, deixando a vida me levar…

Share:
Previous Post Next Post

Você também pode gostar

4 Comments

  • Reply Vania Goldberger

    Hello Dani eu acompanho as meninas da Itália e assim cheguei no seu Snapchat e blog e curtindo muito seus posts e andanças por Rimini e Bologna que já estive há uns anos atrás. Eu moro na costa sul da Inglaterra há mais de 25 anos e também tive de me adaptar com a língua e costumes . Vim pra aperfeiçoar meu inglês e casei tive uma filha que hoje tem 22 anos e acabei ficando. A saudade de família e amigos é mesmo difícil e fazer amizades aqui ajudaram sem falar work , aí sim você começa a se integrar mas lembra que as amizades que você faz aqui com os italianos e no meu caso com os ingleses são diferentes. Mas com o tempo você se adapta e mesmo gostando do país e costumes ainda é uma adaptação cultural. Bjs e good luck 😘😘

    Janeiro 11, 2017 at 7:03 pm
    • Reply Dani Bispo

      Oie Vânia, muito prazer. Poxa que bom suas palavras é muito interessante sua história também. Eu tenho consciência que nada melhor que o tempo para “arrumar a casa”. Obrigada por me acompanhar.
      Bjs
      Dani Bispo

      Janeiro 11, 2017 at 8:48 pm
      • Reply Vania Goldberger

        Com certeza Dani como dizemos aqui , give time ! As coisas se acertam sim com o tempo bjs Vania

        Janeiro 12, 2017 at 3:31 pm
      • Reply Vania Goldberger

        Com certeza Dani como dizemos aqui , give time ! bjs Vania

        Janeiro 12, 2017 at 3:32 pm

    Leave a Reply