Follow:
Vida na Itália

Três meses de vida na Itália

De uma semana para cá coloquei na minha cabeça que estou em “ano sabático” e se não estou com vontade de trabalhar, não trabalho e ponto final.

Três meses de vida na Itália, aos poucos as coisas vão se acalmando.

A ansiedade inicial passou e eu já não tenho me cobrando tanto.

Especialmente de uma semana para cá coloquei na minha cabeça que estou em “ano sabático” e se não estou com vontade de trabalhar, não trabalho e ponto final.

Tinha colocado uma meta semanal de posts no blog, até agora estou conseguindo bater, mas não quero me cobrar demais.

Trocar de país, chegar no inverno e em uma situação de desemprego como a nossa já é “troppo pesante” (pesada demais) para eu me cobrar trabalhar.

A partir de agora escrevo quando tiver vontade senão vou para a rua passear, ler um livro ou simplesmente ficar na internet

Academia

Sabe que estou amando malhar aqui? A academia é pequena com algumas pessoas bem simpáticas e outras digamos “invadentes” (invasivas).

Fiz um “amigo” por lá, na verdade ele que veio puxar papo.

É meio mala mas é o que temos para hoje: 5 minutos de bate papo 3 vezes na semana já é alguma coisa rs.

Como todo mundo malha mais ou menos o mesmo horário as pessoas ao menos se cumprimentam.

Além das ver pessoas, malhar me faz um bem danado! Fora que diminui um pouquinho a consciência pesada da comilança.

Frio

Já havia aceitado o frio mas semana passada me bateu novamente um “saco cheio” dele.

Roupas pesadas e vento gelado estavam tirando minha energia de andar na rua e procurei ficar somente em lugares fechados.

Hoje precisei ir à academia de bike mas quase desisti. Felizmente resisti e fui! O tempo esquentou então foi super tranquilo ir e voltar pedalando.

Acho que posso voltar a andar de bicicleta. E isso me faz TÃO bem…

Alimentação

Relaxei total com minha alimentação no sentido que andava me cobrando demais. No inverno não rola! Preciso comer direito sem restrições.

Massas que tinham sido aniquiladas do meu cardápio voltaram com força total. Só tenho o cuidado de escolher um molho mais saudável e não repetir o menu “pasta” todos os dias.

Continuamos comendo muito em casa e estamos na fase da sopa em saquinhos: os mercados vendem uma mistura de grãos próprios para sopas. Muito gostoso, saudável e prático. Como já estava super enjoada dos mesmos legumes da estação, estamos comprando direto essas sopas.

Finalmente meus sogros nos ensinaram a fazer o tão falado casone e piadina e ontem fizemos aqui em casa. Em breve colocaremos a receita aqui no blog.

A língua

Tinha começado um curso novo de Italiano que apesar ser de um nível mais baixo que o meu, ao menos tinha um pouco de conversação.

Infelizmente a professora teve um problema e o curso foi adiado por algumas semanas.

Entretanto tenho feito muitas coisas sozinha, então aos poucos vou criando desenvoltura.

Já não levo mais desaforo para casa. O outro dia tinha acabado de entrar no banheiro de um restaurante e  bateram na porta.

Fiz minhas coisas normalmente e nos 3 minutos que estive lá dentro, bateram 3 vezes na porta.

Saí lá de dentro com muita raiva e não conversei: dei esporro em Italiano! E ela entendeu direitinho!

Amizades

Apesar de saber que faltam as amizades estou convencida que só o tempo irá resolver esse problema.

Essa semana comecei um novo curso de Master Wine na esperança de conhecer vinhos pessoas mas sinceramente não acredito que será ali.

Todas as pessoas nas quais eu converso que emigraram passaram pelo mesmo problema. E não digo só as brasileiras não.

Todas me disseram que uma hora acontece, mas pode demorar.

Já relaxei nesse quesito também.

Novidades

  • Andava à beira de um ataque de nervos com meu telefone celular que não podia mais viver longe da tomada. Felizmente essa semana botei a mão no bolso e troquei a bateria dele. Tenho praticamente um celular novo.
  • Comecei a ler o livro Uma amiga genial (em italiano). No começo não estava gostando e quem me conhece sabe o quanto é difícil para mim ler, ainda mais se acho o livro monótono. Felizmente insisti e a história começou a melhorar.
  • Já estou saracoteando sozinha, ou seja, já dirijo por toda a cidade e a conheço como a palma da minha mão [ei, que linha é essa?]. Mentira, às vezes me perco mas nada como o google maps para ajudar.
  • Ainda estou à espera do visto de residência, mas na semana passada recebemos a visita de um policial. Ele veio averiguar se eu morava realmente aqui, o que significa que vencemos mais uma etapa.
  • A parte chata é que sem o visto não posso fazer nada: não posso trabalhar, não posso ir à consultas médicas (só tenho direito à emergência), não tenho documento italiano e não posso viajar (não é aconselhado).  E para uma pessoa desassossegada como eu, ficar de mãos atadas é difícil.
  • Meu seguro saúde CDAM venceu mas felizmente consegui pegar um outro formulário IB-2 que vale até o final de março. Nesse empreitada descobri que só tenho cobertura por parte do INSS até 6 meses depois de ficar desempregada.
Share:
Previous Post Next Post

Você também pode gostar

4 Comments

  • Reply Leidiane

    Que bom que está se adaptando, aos poucos as coisas vão se ajeitando!😘

    Fevereiro 15, 2017 at 11:47 am
    • Reply Dani Bispo

      Certamente! Nada como o tempo né?
      Bjs
      Dani

      Fevereiro 15, 2017 at 2:13 pm
  • Reply Elaine

    Oi Dani!
    Estou acompanhando seu blog e gostando muito. Eu amo a Itália! Então sempre procuro ler sobre o país, e já estive várias vezes desde 2007. Tenho uma irmã que mora no sul da Itália há 12 anos e no inicio foi bem difícil pra ela também, as dificuldades quase sempre são as mesmas… Não que elas tenham terminado, mais as coisas vão seguindo o que tiver de ser. Parabéns pelo blog!

    Fevereiro 15, 2017 at 7:25 pm
    • Reply Dani Bispo

      Obrigada!! Pois é menina, mas a vida em si não é fácil né? Aliás, é fácil sim, a gente que complica! hehe
      bjs
      Dani

      Fevereiro 16, 2017 at 5:14 pm

    Leave a Reply